segunda-feira, 30 de junho de 2014

Uma cambada de aldrabões, é o que é

Não consigo entender a conversa "comprei nos saldos". Eu bem que tento mas não consigo atingir.
 
Durante o fim-de-semana resolvi dar uma espreitadela nas lojas para ver se encontrava uma ou outra peça que me enchesse o olho. Posso dizer que entrei em várias lojas, de marcas nacionais e internacionais e aquilo que encontrei foi muito mau. Eu já sabia, já tinha constatado o facto por diversas vezes mas vou sempre na esperança que seja diferente. Mas não...
Toda a gente pensa, ou melhor, se calhar ninguém pensa mas eu penso que os saldos/promoções da estação implicam que os artigos daquela estação fiquem a um preço mais acessível, convidativo. Mas o que eu vi e tenho vindo a ver desde há uns tempos para cá é um monte de farrapos completamente ultrapassados, desadequados, inapropriados e tudo o mais que lhes queiram chamar. E como exemplo disso, posso dizer-vos, que ontem ao entrar numa loja toda XPTO, uma loja de renome internacional, o que pude observar na grande maioria foram uns super pesadões casacos de Inverno, grossíssimos, com uns padrões horrorosos, capazes de fazer toda a gente transpirar só de olhar para eles e claro, muito pouco próprios para esta altura do ano.
 
Mas o que é que é isto? Antecipação da nova estação? Tirem-me deste filme...

sábado, 21 de junho de 2014

Parece que afinal vai

Tenho-me dedicado a 99,9% à bicicleta estática. Não posso dizer que é todos os dias, mas raramente passa um dia em que eu não me abanque para pedalar um pouco. Estranhei nos primeiros dias não sentir qualquer tipo de dorzita. Achei que não valia a pena o esforço mas agora começo a sentir que tenho glúteos. Parece-me muito bem!

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Isto há cada tolo

Hoje, presa no trânsito, um labrego (desculpe senhor mas não tem outro nome) passou-se da tola. Entrei na rotunda, na minha vez. Juro que cumpri todas as novas regras. Juro!!! E esta ave rara, estando já eu a circular na rotunda, resolveu entrar sem dó nem piedade. O choque não se deu por pouco. A minha única reacção foi buzinar e seguir o meu caminho. Um pouco à frente tive de parar porque havia obras. O tolo parou na faixa ao lado (a faixa em obras) e saiu-se com esta pérola:
- Estás com comichão? Eu posso tirar-ta.
E repetiu, voltou a repetir. Ouvi bem porque a janela estava meia aberta. Estava bêbedo, sim, sei que estava.
Depois de olhar, voltar a olhar só me saiu:
- Está mas é calado! Só estás a fazer figuras tristes.
Fechei os vidros, tranquei as portas e continuei parada porque o trânsito continuava estático. O coração começou a disparar, senti as pernas a tremer porque não havia força para carregar na embraiagem. O homem ficou furioso, ameaçava sair do carro, tirar qualquer objecto do porta-luvas. Deitava a cabeça para fora do vidro do carro e ameaçava... Só tive tempo de pegar no telemóvel, ligar para o esposo e colocá-lo em linha em alta voz.
O trânsito começou a fluir, o louco conseguiu vir para a minha faixa e foi um ver se te avias para me apanhar. Quando se aproximou consegui ver a matrícula e ditá-la ao esposo. Resolvi cortar na próxima rotunda logo à direita, sem sinalizar a manobra. Essa saída dava acesso quase directo à esquadra da polícia. Já tinha feito o esquema todo e ia parar juntinho à entrada da mesma. Nisto, o labrego resolveu seguir outro destino. Acho que percebeu os meus pensamentos. Foi altura de descomprimir, de controlar o ritmo cardíaco até ao normal e de acalmar o esposo.

Nunca tinha passado por nada igual mas já deu para perceber que o meu coração está em grande forma porque, de outra maneira, tinha-me dado algum mal quando o vi a remexer o porta-luvas. Mas não, continuei aparentemente impávida e serena (pelo menos tentei demonstrar-lhe isso), no entanto, nem quero que me lembre da minha aceleração interior.

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Outra vez as unhas

E pronto: unhas recuperadas.
Desde que me decidi pelas unhas de gel que as minhas mãos ganharam novo encanto. Mantém-se muito mais tempo com o brilho que lhes faltava há algum tempo. Quando procurei ajuda profissional, o que mais gostei de ouvir foi que não iria querer outra coisa. E, de facto, ainda não estou desiludida. Estava cansada de ter de andar a pintar as unhas quase diariamente porque o verniz estava sempre a estalar (não contando com a falta de paciência). 
Claro que de vez em quando há uns acidentes mas nada que se compare com o antigamente. Estou rendida e esta decisão, até prova em contrário, será para manter.

Bom Dia!!!


terça-feira, 10 de junho de 2014

Fim-de-semana prolongado ... de compras

Uma vez que o fim-de-semana não deu para ir até à praia (plano número um), voltámos as energias para as compras. Há muito que andava a adiar o inadiável. Abria o armário e não via nada de jeito para vestir. Não, não é conversa de mulher que acha que nunca tem nada para vestir. As minhas roupas de Verão, resumiam-se a pouquitas peças, a maior parte delas já um pouco usadas e fora de moda. O esposo incentiva-me sempre a estar na moda, mas eu ponho sempre essa questão para segundo plano e tento gastar o mínimo possível em roupa. Mas depois deprimido porque acho que não estou bonita, não me sinto bonita, acho que os outros me acham parola... Eu sei: os outros não importam mas eu também não me sinto bem!!! Pronto, já desabafei. O que interessa é que arranjei umas roupitas janotas, com cores da moda (essencial) e bem fresquinhas. Também fazia parte dos planos uns calçados bonitos porque aí o desfalque ainda era maior. Não encontrei tudo o que queria: apenas consegui um par de sandálias super giras. E fiquei triste ao chegar a casa porque só aí reparei que tinha trazido um pé de um número e o outro de outro número. Amanhã tenho de resolver este pequeno assunto.
Mau, mau é amanhã já voltar ao trabalho mas tenho de me alegrar porque esta semana só tem três dias de trabalho.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Manter a motivação

"Herdei" uma bicicleta estática. Sim, a custo zero e em muito bom estado. Burrita seria se não aproveitasse a oportunidade para trabalhar as minhas pernas. É claro que toda a gente diz que vai ser utilizada apenas nos primeiros tempos, que rapidamente me vou fartar, and so on...
Agora só tenho de provar que isso não vai acontecer. Gostava de ter umas pernas mais tonificadas, durinhas, sem celulite, sem estrias. Mas há coisas que por mais que sonhemos não acontecem e, por isso, contento-me em diminuir o meu peso nos últimos três quilos que acho ter a mais. As pessoas das minhas relações acham que eu estou muito bem mas, o que é certo, é que eu olho ao espelho e ainda não me sinto a 100%.
Já que estamos em maré de pedidos, a minha barriga também podia ficar mais lisinha mas isso não é assunto que se reslova com uma bicicleta estática. A ver vamos se arranjo forças para outras actividades.

domingo, 8 de junho de 2014

quarta-feira, 4 de junho de 2014

?

Esta semana tem sido uma calmaria. 
É incrível como quando uma pessoa está ausente, as coisas se transformam tanto e passam da água para o vinho. A capacidade que alguns têm de montar a confusão ao seu redor, ainda é um mistério para mim.

Ora aí está!


terça-feira, 3 de junho de 2014

:) ou :(

Estou farta desta bipolaridade do tempo.
Estamos a chegar ao Verão e este clima não se resolve a estabilizar. Ora vêm uns dias bons, ora vêm uns dias maus. Não se consegue planear nada.
Este fim-de-semana vai ser prolongado por estas bandas e estavamos a pensar em rumar a algum sítio para apanhar um calorzinho. Mas com esta instabilidade, acho que os planos vão sair furados e temos de fazer algo mais caseiro.